Av. Santo Afonso: trânsito, estacionamento irregular, barulhos de bares atrapalham moradores locais

admin
Por admin maio 4, 2017 17:02

Av. Santo Afonso: trânsito, estacionamento irregular, barulhos de bares atrapalham moradores locais

 

Veículos na calçada, ônibus e vans tornam a Sto. Afonso com uma das vias com um trânsito irregular e com falta de fiscalização.

Dirigir ou andar pela Avenida Santo Afonso, no Jardim Miriam, na zona sul de São Paulo não é uma tarefa fácil. Logo no início, próximo da Avenida Cupecê, a rua estreita e de mão dupla, gera enorme congestionamento, devido aos caminhões que descarregam suas mercadorias no comércio, dividindo o espaço dos carros dos clientes que estacionam no local impedindo a passagem dos demais veículos e ainda as lotações e vans escolares, que dividem o pequeno espaço gerando enorme trânsito.

A situação ainda agrava, nos finais de semana, pois no local há 7 igrejas evangélicas e uma paróquia que dá nome a via, a Paróquia Santo Afonso, e muitos carros dos fieis ficam estacionados ao longo da avenida e se misturam com os veículos dos moradores, pois muitos ainda não possuem garagem e ficam estacionados na avenida.

Para viabilizar a passagem, muitos carros estacionam nas calçadas, impedindo que os pedestres circulem por elas, desta forma, as pessoas andam no meio da avenida, tanto para subir, quanto para descer a via. Um comerciante da avenida que preferiu não se identificar, sugere que a subida da Avenida Santo Afonso, para quem vem da Avenida Cupecê, seja feita pela Rua Marco Gagliano. “Desta forma, o fluxo seria mais rápido para quem desce a via e quer entrar na Cupecê”, sugeriu.

Por falta de espaço de lazer, a Avenida Santo Afonso, é uma via que aos poucos muda o seu perfil, que antes, era composta apenas de casas, agora o comércio invade gradativamente por toda sua extensão, que vai da Avenida Cupecê, até a Avenida Yervant Kisarjikian, na Vila Missionária. Por lá, há pelo menos, 20 botecos, 15 salões de beleza, uma escola municipal, 4 mercados, um açougue, entre outros comércios. Além disto, a via conta com a UBS Jardim Miriam – Manoel Soares de Oliveira, uma das mais importantes do bairro.

Mesmo assim, a avenida nunca foi recapeada, desde o seu primeiro asfalto, em 1979. De lá para cá, a manutenção é realizada por meio de operações “tapa-buracos”, transformando a via em um asfalto completamente irregular em toda a sua extensão.

Taxistas evitam a região – Um dos maiores problemas enfrentados pelos moradores locais é o preconceito. Muitos taxistas não aceitam subir a Santo Afonso à noite e, muitos não querem passar pelo local, nem durante o dia. De acordo com o morador Lucas de Oliveira, várias vezes ligou para o ponto de taxi, localizado na Praça do Jardim Miriam e a resposta foi negativa. “Quando falei que morava na Avenida Santo Afonso, recusaram minha viagem”, relembrou.

À noite, começa um outro problema, o barulho das músicas dos bares se misturam com o barulho de algumas igrejas neopentecostais. “Já estamos acostumados, pois isto é um problema de educação”, relatou a dona de casa Sueli Nascimento, que também mora no local.

Em nota, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), respondeu que, a fim de coibir eventuais desrespeitos às regras de estacionamento previstas no Código de Trânsito Brasileiro, a Companhia vai intensificar a fiscalização no local e elaborar um projeto de manutenção da sinalização.

Sobre a solicitação para alterar o sentido de direção da Rua Marco Magno, a CET informou que a via possui baixo fluxo de veículos e de pedestres, além de aclive acentuado, e que esse tipo mudança poderá comprometer a segurança dos usuários. Lembramos que esta via não tem nada a ver com a solicitação da reportagem, mas sim a rua Marcos Gagliano, que é paralela à Santo Afonso.

Para finalizar, a CET, informa que, a população pode solicitar a presença das equipes de fiscalização ou medidas de engenharia de tráfego, ligando gratuitamente para o telefone 1188, que atende 24 horas por dia, ou então enviar o pedido através do site www.cetsp.com.br escolhendo o canal Fale com a CET.

admin
Por admin maio 4, 2017 17:02
Escrever um comentário

sem comentários

Ainda não há comentários!

Deixe-me lhe contar uma história triste! Não existem comentários ainda, mas você pode ser primeiro a comentar este artigo.

Escrever um comentário
Ver comentários

Escrever um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Facebook

Empreendedorismo